Docência na Educação Adventista (Parte 2)

O professor deve ter em mente que sua vida profissional deve ser correta, mantendo a busca constante por aprimorar seus conhecimentos.

Philosophy & Mission June 3, 2020

O professor deve buscar sabedoria que vem de Deus, para poder agir com segurança, calma, bondade, ternura, transmitindo aos seus alunos segurança e confiança.

“Quando nossos professores estiverem verdadeiramente convertidos, terão fome de alma pelo conhecimento de Deus e, como humildes discípulos na escola de Cristo, estudarão para conhecer Sua Justiça. Retos princípios dominarão a vida e serão ensinados com os princípios que regem a educação celestial. Quando os professores procurarem de todo o coração introduzir corretos princípios na obra educacional, anjos de Deus estarão presentes para causar impressões no coração e na mente.” (WHITE, p. 518-519)

Ao encontrar essa sabedoria o docente fará de seus alunos seres preparados para enfrentar os obstáculos deste mundo. Como aprendiz de Jesus, o professor deve sempre buscar estudar a Bíblia para poder ser um melhor cooperador na educação de seus discentes. Essa atitude propicia o bom relacionamento com os alunos, facilitando assim o bom andamento do trabalho e o aprendizado com mais facilidade.

O docente também deve ter sabedoria para buscar saúde física e mental, pois encontrará muitos percalços em sua vida profissional. Isso implica em ter controle dos sentimentos, para influenciar positivamente e corretamente os seus alunos. Para isso, o docente precisa estar devidamente preparado e controlar com sabedoria suas emoções para poder agir com profissionalismo e bondade aqueles que muitas vezes o veem como modelo.

O professor deve ter em mente que sua vida profissional deve ser correta, mantendo a busca constante por aprimorar seus conhecimentos. Precisa agir com sabedoria, ser pontual, ter ética, compromisso e ser colaborador em seu ambiente de trabalho para que haja um bom andamento dos afazeres de todos. O docente deve aceitar que há limites que devem ser respeitados, pois é sabido que existem possibilidades infinitas para a mente humana. No entanto, ele deve saber até onde pode exigir de seus alunos.

A linguagem usada deve ser coerente, clara e objetiva para que todos possam compreender o que o professor deseja ensinar. O mesmo não deve fugir de seus princípios, mostrando que sua base está presente em sua vida.

“Cristo chegava ao povo na posição em que este se achava. Apresentava a simples verdade perante o espírito deles, na linguagem mais poderosa e singela. O pobre humilde, o mais ignorante podia compreender, mediante a fé nEle, as mais exaltadas verdades. Ninguém precisava consultar os instruídos doutores quanto ao sentido do que Ele dizia. Não embaraçava o ignorante com misteriosos raciocínios, nem usava palavras fora do comum ou eruditas, de que não tivessem conhecimento. O maior Mestre que o mundo já conheceu foi o mais preciso, simples e prático em Suas instruções.”(Meditação Matinal, 20/06/2013).

Não é tarefa fácil buscar todos esses atributos. Por isso, o professor que desejar ser muito mais que um informador pode sempre contar com a ajuda de Deus.

*Esse artigo é a parte 2 de uma série de três artigos. Acompanhe na próxima quarta-feira a parte 3. Ler a parte 1.

Author

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *