O Ponto Cego do Gestor Escolar

Sustainable Leadership

Estávamos andando de carro quando de repente uma moto passou por nós em alta velocidade, sem que tivéssemos visto. Assustado, meu esposo garantiu: “não vi essa moto, ela estava no ponto cego do carro. Poderia acontecer um acidente, sem que pudéssemos nos dar conta”.

O que é um ponto cego de um carro? São os locais do veículo onde o condutor não possui visibilidade externa. Será que na gestão escolar existe também um ponto cego? E se existe qual seria esse ponto? Na verdade, não existe apenas um ponto cego na gestão escolar, mas vários. As áreas de atuação do gestor de uma escola são muitas e precisam ser bem acompanhadas diariamente. Questões financeiras, pedagógicas, disciplinares, limpeza, manutenção, demandas dos pais, dos alunos, dos professores… O gestor é preparado para lidar com tudo isso.

Os pontos cegos podem estar escondidos nos detalhes e, muitas das vezes, considerados como coisas insignificantes. Pode ser qualquer coisa: a reclamação de um pai que não foi levada em consideração; um atendimento ruim; metas não alcançadas ou ignoradas; um funcionário ruim que não é despedido; paternalismo; o lanche ruim da cantina que não se deu atenção; entre outros. São pontos não percebidos, ou até que foram detectados, mas não foi dada a devida atenção, e que aos poucos vão minando a escola e o trabalho do gestor.

Assim como nos veículos, na escola o líder gestor também pode identificar os pontos cegos e tomar cuidado, “dirigir” com atenção, corrigindo as curvas. Algumas dicas para a identificação dos pontos cegos:

  1. O gestor deve frequentar o pátio da escola, estar algumas vezes no portão de entrada dos alunos, na sala dos professores e também nas salas de aulas.
  2. Se envolver em tudo. Não tem como ser um bom gestor gostando mais de uma área do que da outra. Ele é o gestor de toda escola. A escola é um organismo só.
  3. Deve saber ouvir.
  4. Deve ser um observador com olhar crítico.
  5. Fazer uma liderança compartilhada.
  6. É importante planejar as ações da escola ouvindo as pessoas envolvidas. Compreender que os erros, acertos das pessoas e do próprio líder contribuem para a evolução da escola.

Bill Georg, no livro “Liderança Autêntica, diz que “líderes autênticos desejam genuinamente servir aos outros com sua liderança…. Constroem relações autênticas com as pessoas…. Se as pessoas sentirem que você está genuinamente interessada em servir aos demais, elas estarão preparadas tanto para segui-lo como para dedicar à causa comum” (Georg, 2009”. 12).

As pessoas que se beneficiam direta ou indiretamente dos serviços educacionais depositam suas expectativas no líder gestor. Descubra seu ponto cego, faça uma análise diária, um autoavaliação e exerça uma liderança autêntica. Priorize a realização dos objetivos educacionais para o desenvolvimento de um bom trabalho.

Author

Kátia é pós-graduada em Gestão Educacional, MBA em Administração e Marketing, Mestranda em Recursos Humanos (concluir tese) e outros cursos na área educacional. Tem experiência profissional na educação adventista nas área de: docência, coordenação pedagógica, capelania e gestão, entre outras experiências. Serviu nessas funções em quatro estados nos últimos 22 anos.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *