Redes sociais e o voluntariado em ação

Os estudantes usaram as redes sociais da escola e mostraram por que é necessário que as pessoas sejam voluntárias.

Best Practices August 18, 2021

O que é preciso para ser um voluntário? Se você pensou em ações extraordinárias como sair de casa e ir para um país distante com muitas pessoas necessitadas, você está um pouco equivocado. Sim, essa é uma das opções para ajudar quem precisa, mas não é a única.

Os alunos do 7º ano da Escola Adventista de Marília (EAM) provaram que é possível ser um voluntário sem sair de sua rotina como estudantes. Por meio do projeto EAM Contra a Fome, os estudantes convidaram os moradores da cidade a se tornarem voluntários.

Ver as fotos do projeto EAM Contra a Fome

Estudamos, nas aulas de Língua Portuguesa, sobre o voluntariado. Na semana seguinte a nossa aula, nossa escola lançou uma campanha de arrecadação de alimentos, roupas e produtos de higiene pessoal para ajudar famílias que, no meio da pandemia, perderam seus empregos e precisavam de ajuda. Entendi que aquele era o momento certo para colocarem em prática o que havíamos conversado nas nossas aulas anteriores.

A proposta, então, foi que os estudantes usassem as redes sociais da escola e mostrassem por que é necessário que as pessoas sejam voluntárias. Como a campanha buscava arrecadar três diferentes itens, dividi a sala em três grupos. Cada grupo ficaria responsável por gravar um vídeo. Cada vídeo seria publicado em um dia diferente nas redes sociais da escola.

Textos revisados, tarefas divididas, os vídeos foram gravados. Os vídeos produzidos pelos estudantes foram extremamente criativos e com conteúdo relevante. Por exemplo, duas alunas, responsáveis pela abertura dos dois primeiros vídeos, fizeram uma pesquisa sobre desemprego, fome e mostraram como esses dois fatores se intensificaram com a pandemia da COVID19. Uso das redes sociais de maneira responsável e com argumentos para convencer quem assistia.

Durante o mês de maio, os alunos do 7º ano invadiram os feeds do Instagram e Facebook e convidaram a quem assistia a serem voluntários. Eles também aproveitaram para conscientizar sobre a importância de doar, de pensar no outro, de ser um cidadão consciente na cidade ou país em que se vive.

Além de Língua Portuguesa, esse projeto colocou em prática ações educativas trazidas pela Pedagogia Adventista que podem ser aplicadas em diversas disciplinas:

  • espírito crítico e reflexivo: entenderam que há um problema e que poderiam ser parte da solução;
  • atitudes criativas e autônomas: criaram o texto de forma responsável para convencer o outro sobre a importância de se voluntariar;
  • conhecimento e experiência das leis da saúde: pensaram na saúde do coletivo, pois entenderam que a fome pode prejudicar a saúde do próximo;
  • comprometimento e responsabilidade com o ambiente em que vive: se posicionaram frente a um problema social com autonomia e responsabilidade;
  • desprendimento de si mesmo e serviço ao próximo: foram solidários com as necessidades das pessoas que precisavam de ajuda.

Todas as etapas apresentaram estudantes desenvolvendo seu caráter bíblico-cristão e exercendo a cidadania de seres humanos conscientes do papel que devem exercer na sociedade. No final, além de textos bem escritos e bom desenvolvimento da oralidade, os alunos mostraram que estão inseridos em um ambiente em que a Educação, sem dúvida, vai muito além do ensino.  

Author

Professora de Língua Portuguesa e Espanhola, Ensino Fundamental II, na Escola Adventista de Marília. Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), com a experiência de um intercâmbio de dois anos na Universidade do Porto, Portugal, durante a graduação. Estudante de Pedagogia.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *