O “Bom dia” que pode mudar o mundo

Que tal começar a aula de forma divertida e personalizada? Veja algumas dicas para receber os alunos na sala de aula.

Best Practices September 1, 2021

Esses dias uma mãe perguntou para sua filha qual era a parte da aula de musicalização que ela mais gostava. A criança rapidamente respondeu que era o começo da aula, quando a professora cantava a música “Oi, bom dia” e perguntava se as crianças estavam felizes, tristes ou zangadas.

Um momento tão simples e rotineiro, mas que faz tamanha diferença na vida dos pequenos, afinal somos seres sociais que necessitam de contato, de troca e vínculo para nos sentirmos seguros. 

Mais do que lecionar, o cuidado, a dedicação e a atenção fazem parte do papel do professor. Eles colaboram na criação de um ambiente seguro e acolhedor. Sem um bom vínculo estabelecido, não há aprendizagem real, pois a criança aprende melhor quando confia no adulto. 

 “[…] Por meio das relações afetivas o aluno se desenvolve, aprende e adquire mais conhecimentos que ajudarão no seu desempenho escolar.” (MIRANDA, 2008, p.02) Assim sendo, o professor deve estar atento, já que todo momento pode ser essencial para estabelecer vínculo e demonstrar afeto.

Mais do que uma simples canção, começar a aula cantando “Bom dia/boa tarde, como vai você?” é um momento de acolhimento, de escuta ao outro. Nele o professor está demonstrando que se importa com seu aluno e dando a liberdade para que ele se expresse e reconheça seus sentimentos.

E por que não tornar esse instante divertido? O professor pode levar emojis para cada criança apontar qual deles representa o que ela está sentindo. Ou pode inverter os papéis. O aluno faz uma mímica ou uma careta e o professor é quem precisa adivinhar como seu aluno está se sente naquele dia.  

Que tal cumprimentar cada aluno de forma personalizada? Quando o aluno chegar para a aula, ele pode escolher como quer ser cumprimentado. Coloque na porta um cartaz com símbolos desenhados, onde cada símbolo representa um jeito diferente de falar “oi”. No cartaz pode ter uma mão que representa um toque diferente; um coração que pode ser um abraço ou beijos mascarados enviados a distância; uma nota musical que será uma dancinha, entre outros.

C:\Users\talita\Downloads\IMG_5968 (1).jpegC:\Users\talita\Downloads\IMG_8429_jpg (1).jpg

Seja com fantoches, emojis com massinha de modelar, cartaz ou uma simples conversa, é importante ressaltar que para despertar o interesse e deixar o aluno motivado é necessário diversificar a estratégia.

O papel do professor vai muito além do que um mediador do aprendizado. Um bom professor se importa com a formação integral da criança e com o que ela virá a ser no futuro. Simples gestos de cuidado e atenção podem transformar a vida dos pequenos.

______________________________________________________________________________________________

Link para música de acolhimento: https://youtu.be/4hLhCmNS4X4

Sugestões de músicas para usar na aula (de outros autores): 

Referência:

MIRANDA, Elis Dieniffer Soares. A INFLUÊNCIA DA RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO PARA O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CONTEXTO AFETIVIDADE. 2008. 107 f. p. 01-06. 8° Encontro de Iniciação Científica. 8° Mostra de Pós Graduação. Sessão de artigos. FAFIUV. 

Author

Talita tem uma trajetória presente na música desde cedo. Cantora, musicista, pianista e educadora musical, participou da Turminha Legal por 9 anos, grupo que trouxe inúmeras inovações e transformações para a música gospel infantil. Formada em Psicologia e Música, com pós graduação em Neuropsicopedagogia e Educação Musical, atua como professora de canto coral e musicalização desde 2003. Atualmente é professora no Centro Universitário Adventista de São Paulo -UNASP, Brasil. Juntamente com a professora Maressa Manfre iniciou o projeto Fabricando Música que desenvolve conteúdo de Educação Musical para professores, pais e alunos. Ainda no meio artístico trabalha com produções musicais e teatrais.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *