Dicas para organizar aulas híbridas

Uma turma é diferente da outra, e por isso as aulas precisam ser adaptadas de acordo com a característica de cada uma.

Learning September 29, 2021

Na primeira parte desta série de dois artigos sobre aulas híbridas (publicada na semana passada) falamos sobre os desafios desse formato de aulas para o professor e para o aluno. Veja agora algumas dicas para melhorar o aprendizado e facilitar a condução das aulas híbridas:

1. Dividir a atenção

Sei bem como é difícil dividir a atenção entre os dois grupos, então dê preferência para o maior grupo. Ou seja, se você tem mais alunos presencialmente, consequentemente eles te tomarão mais tempo, seja na explicação da matéria ou até mesmo para controlar e manter a sala em ordem.

Crie atividades de “escape” para quem está na sala de aula. Momento de leitura de livro, desenho, atividade de folhinha, ou qualquer outra coisa que eles não necessitem da sua atenção. Neste momento, dê atenção privilegiada aos que estão em casa: explique novamente a matéria, corrija algo que ficou faltando, ou converse mesmo. Eles se sentirão especiais.

Dê pequenos privilégios para quem está em casa: conte um “segredo”, revele de antemão algo que acontecerá, deixe que eles escolham a brincadeira que será feita na aula. Assim, eles se sentirão parte importante dos acontecimentos da aula, mesmo não estando presencialmente.

2. Planejamento é a alma do negócio

Com certeza dá muito mais trabalho do que tínhamos antes, mas quanto mais clara, explicada e planejada for a aula, menos dor de cabeça você terá. Prepare as correções das atividades em slides para fornecer para o pai que está auxiliando a criança em casa, faça roteiro das aulas com tudo muito bem explicado.

3. Instrumentos utilizados

Na escola que trabalho estamos usando os instrumentos para as aulas de música com as crianças que estão presencialmente na escola, já com quem está em casa fazemos pequenas adaptações para que todos executem as atividades. Por exemplo, se estamos usando as clavas, pedimos para os alunos usarem colher de pau, ou lápis de cor. Ou se estamos usando uma bolinha para massagem, peço para as crianças pegarem uma meia enrolada em formato de bolinha, bola de tênis, ou até mesmo uma maçã, laranja… qualquer coisa de formato circular.

Você também pode criar e confeccionar os materiais com os próprios alunos. No início do ano, confeccionamos com todos os alunos um chocalho feito de garrafinha pet. Eles amaram fazer e usamos com frequência nas aulas.

4. Super edição

Algumas disciplinas requerem um pouco mais de preparo prévio, especialmente as que exigem o uso de diversos recursos audiovisuais. Por exemplo, como na aula de musicalização usamos muitas músicas diferentes, vídeos, slides, instrumentos, entre outras coisas, notamos que ficar trocando de música acabava atrapalhando a aula. Ficávamos perdidas entre os vários programas abertos no computador, o que ocasionalmente causava bagunça na sala pela demora na troca de atividade. Depois de alguns meses, entre erros e acertos, encontramos uma solução. 

A solução que encontramos foi fazer uma única edição que inclui todas as músicas, vídeos e slides que serão usados na aula naquele dia. Incrível como facilitou a nossa vida. Perdemos tempo editando? Com certeza! No entanto, ganhamos sanidade durante a execução das aulas. O tempo que perdemos editando esses “aulões” é compensando quando estamos dando aula e tudo flui com a maior tranquilidade.

5. Quando o professor tem várias turmas de diferentes faixas etárias

Os alunos podem ser divididos por faixa etária. No nosso caso com as aulas de música, optamos por dividi-los em quatro grupos para facilitar nosso trabalho. Usamos o mesmo compositor e basicamente as mesmas músicas para brincadeiras, bandinhas, coreografias, musicogramas, porem com dificuldades de execução diferentes, condizentes com o desenvolvimento de cada faixa etária.

SEMPRE colocamos um vídeo com assunto condizente ao conteúdo da aula (uma história, um desenho animado, uma curiosidade, atividades sonoras, etc). Usamos este momento para corrigir algo, higienizar o material utilizado pelos alunos, dar um respiro, pois temos plena consciência que a aula híbrida esgota fisicamente e psicologicamente o professor. Assim, é importante intercalar atividades de movimento com atividades paradas.

Enfim, é preciso lembrar que uma turma é diferente da outra, e por isso as aulas precisam ser adaptadas de acordo com a característica de cada uma. Teste, erre, conserte, ajuste, modifique e encontre sua fórmula para o sucesso. Entretanto, não se cobre tanto, porque muita coisa vai dar errado e não terá um ajuste perfeito. Não se estresse! Se você sabe está fazendo o seu melhor, saiba que isso será suficiente.

Author

Cantora, apresentadora e educadora musical, integrou por 12 anos um grupo infantil que revolucionou a música gospel. Formada em Educação Artística com Habilitação em Música, Maressa ministra aulas de canto coral e musicalização para crianças de 0 a 12 anos no Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP, Brasil. Juntamente com a professora Talita Bianchini, iniciou o projeto Fabricando Música, que visa desenvolver conteúdo musical para professores e pais. Ainda no âmbito artístico, trabalha como diretora de arte em filmes publicitários, cinema nacional entre outras produções áudio visuais.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *